Flávio Bolsonaro usou R$ 86,7 mil em espécie na compra de salas comerciais na Barra

Entrevista com o Senador Flavio Bolsonaro em seu gabinete Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Flávio Bolsonaro é um corrupto trapalhão, todo enrolado

Juliana Dal Piva
O Globo

A compra de salas comerciais pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) teve o uso de R$ 86,7 mil em dinheiro vivo enquanto ele era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio. É o que revelam as construtoras envolvidas na operação e o próprio Flávio em depoimento ao Ministério Público do Rio (MP-RJ) ao qual O GLOBO teve acesso.

No relato, o parlamentar afirmou aos promotores que pediu os valores emprestados para o pai, o presidente Jair Bolsonaro, e um irmão — sem identificar qual deles. Flávio também citou a possível ajuda de Jorge Francisco, pai do ministro Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência, e chefe de gabinete de Jair Bolsonaro de janeiro de 2001 a março de 2018, quando faleceu.

Os relatos do senador ocorreram em 7 de julho para o promotor Luis Fernando Ferreira Gomes no inquérito que apura a prática de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio.

EM DINHEIRO VIVO – No depoimento, Gomes relatou a Flavio que a Cyrella e a TG Brooksfield informaram ao MP que ele pagou R$ 86.779,43 com dinheiro em espécie, por meio de depósitos bancários, no ano de 2008, para a compra de 12 salas comerciais no Barra Prime Offices — um centro comercial de alto padrão na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

A venda foi registrada em cartório em 16 de setembro de 2010, mas Flávio e as corretoras fizeram um contrato de “instrumento particular de compra e venda” em 5 de dezembro de 2008. Outros valores foram quitados com cheques e com boletos bancários. Flávio foi questionado pelos promotores sobre a origem do dinheiro em espécie.

— Eu saí pedindo emprestado para o meu irmão, para o meu pai, eles me emprestaram esse dinheiro. Tá tudo declarado no meu imposto de renda, que foi comprado dessa forma (por meio de empréstimo). Depois eu fui pagando a eles esses empréstimos. Acho que o Jorge (Francisco), que era chefe de gabinete do meu pai, também me ajudou — respondeu Flávio aos promotores.

ALTÍSSIMO LUCRO – As salas acabaram revendidas por Flávio 43 dias depois do registro em cartório, de 2010. Segundo reportagens do portal UOL e do jornal “Folha de S.Paulo”, os imóveis foram formalmente adquiridos por valores entre R$ 192,5 mil e R$ 342,5 mil cada. No total declarado, as salas chegavam a R$ 2,6 milhões. Antes de revender, Flávio pagou apenas 12% do financiamento.

Menos de dois meses depois, no dia 29 de outubro, o senador vendeu as salas e cedeu o restante do financiamento a uma empresa chamada MCA, obtendo um lucro R$ 318 mil.

Ao longo do depoimento, o promotor também questionou Flávio sobre como foram pagos os empréstimos feitos junto a seus familiares para custear as salas. O senador disse que também retornou os valores em dinheiro vivo. “Não. Era em espécie, em dinheiro” — afirmou Flávio, quando lhe foi perguntado se recebeu o empréstimo integralmente e se o pagou integralmente ou parcelado.

MEMÓRIA CURTA – O senador disse que não se recordava: “Como era em família, não lembro agora exatamente como foi feito. Se foi parcelado ou uma vez só”.

Em entrevista ao GLOBO, o senador confirmou que seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, pagava mensalidades escolares e planos de saúde da sua família e que reembolsou em espécie um sargento da PM que pagou a parcela de um financiamento da sua esposa. Flávio nega irregularidades nas transações. Ele também nega que sua loja de chocolates tenha sido utilizada para lavagem de dinheiro, como suspeita o MP, e diz que a franquia é alvo de controle da matriz.

No depoimento ao MP, Flávio também afirmou, pela primeira vez, que Alexandre Santini, seu sócio na loja de chocolates, foi quem “apresentou sim as pessoas que vieram comprar as salas” no Barra Prime Offices em 2010. O senador relatou: “Conheci ele (Santini) dessa forma, ele oferecendo imóveis para mim”.

CHEQUE MISTERIOSO – Os promotores questionaram Flávio sobre um cheque no valor de R$ 200 mil feito por ele e nominal para o Barra Prime que foi localizado na casa de Santini durante a busca e apreensão em dezembro do ano passado.

“Pode ser porque ele ia entregar o cheque para alguém e não entregou, né? Pelo que eu me lembro, para Prime, eu fazia os pagamentos direto da minha conta. Não lembro desse cheque não. Mas certamente não foi entregue — disse Flávio, ao dizer que pagava às construtoras diretamente. “Não recordo. Pode ser que eu tenha dado para ele entregar para alguém lá na corretora para pagar uma parcela do financiamento”.

Para os promotores, além da suspeita sobre a negociação em si, também “chama atenção o fato de a pessoa jurídica adquirente (a MCA) ter como sócia outra empresa com sede no Panamá”, a Listel S.A. O país é considerado um paraíso fiscal e rota de esquemas de lavagem de dinheiro.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Essas “negociações” demonstram que Flávio Bolsonaro é um corrupto totalmente despreparado e lambão. Pensou que era “esperto” e foi deixando provas pelo caminho. Tão desleixado que está incriminando a própria mulher, assim como a mulher de seu pai. Tudo em família. Em tradução simultânea, família que rouba unida, pode ir em cana unida. (C.N.)  

14 thoughts on “Flávio Bolsonaro usou R$ 86,7 mil em espécie na compra de salas comerciais na Barra

  1. Número de infecções por dia (atualizado em Ago/7):

    Spain 1
    Belgium 2
    Italy 6
    Sweden 6
    France² 11
    Panama 21
    Chile 97
    Peru 196
    United Kingdom² 203
    Mexico 819
    Brazil 1,237
    USA² 1,835

    Taí a estatística que o governo esconde: o covid está crescendo no Brasil de forma assustante. Somos o pior país juntamente com o USA, que é criticado por sofrer do mesmo mal que o Brasil: uma péssima liderança.

  2. Pôxa CN não é por aí não.
    Eles enganaram todos que votaram neles para combater a corrupção endêmica em nosso país.
    NUNCA; eu disse nunca mais eles pisarão em uma cela a menos que mudem-se as leis aprovadas por eles e o entendimento do apodrecido componentes do stf.
    Fora isto; é jogar conversa fora.

  3. “Flávio Bolsonaro é um corrupto totalmente despreparado e lambão.”

    “lambão”..
    Sr. Newton, está usando o português da terrinha Além Mar..?
    Para sujeitinhos como o BolsonelsonFilho, também tem uma palavra que cai como uma luva.”lascarino”….

    abs.

  4. Algumas das frases do maior estelionatário politico da nossa história.
    Verdadeiro ESCROQUE!

    1)”Parabéns à Lava Jato. O recado que eu estou dando a vocês é a própria presença do Sergio Moro no Ministério da Justiça, com todos os meios, inclusive o Coaf [órgão de fiscalização de transações financeiras], para combater a corrupção. Ele pegou o Ministério da Justiça e é integralmente dele o ministério, sequer influência minha existe em qualquer cargo daquele ministério. E o compromisso que eu tive com ele é carta branca para combate à corrupção e ao crime organizado. Com toda a certeza ele terá sucesso e os reflexos positivos disso toda a população brasileira sentirá”

    2)”O ministro Moro, como os outros, tem total liberdade para escolher todo o seu primeiro, segundo, terceiro escalão”.

    3)”Se ele resolveu mudar, vai ter que falar comigo. Quem manda sou eu, vou deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu. Pelo que está pré-acertado, seria lá o [superintendente] de Manaus”.

    4)”Quando vão nomear alguém, falam comigo. Eu tenho poder de veto, ou vou ser um presidente banana agora? Cada um faz o que bem entende e tudo bem?”.

    5)Agora há uma onda terrível sobre superintendência. Onze [superintendentes] foram trocados e ninguém falou nada. Sugiro o cara de um estado para ir para lá: ‘Está interferindo’. Espera aí. Se eu não posso trocar o superintendente, eu vou trocar o diretor-geral”.

    6)”Olha, carta branca. Eu tenho poder de veto em qualquer coisa, se não eu não sou presidente. Todos os ministros têm essa ingerência minha e eu fui eleito para mudar. Ponto final”.

    7)”Se Deus quiser, vai dar certo esse plano-piloto, montado pelo Ministério da Justiça e Segurança, tendo à frente o senhor Sergio Moro, que é um patrimônio nacional.”

    8)”Obrigado, Sergio Moro, que vossa senhoria abriu mão de 22 anos de magistratura para, não entrar numa aventura, mas sim na certeza que todos nós juntos podemos sim fazer melhor para nossa pátria”.

    Lixo humano!!

    Cordialmente.

    • Espetro, não posso deixar de aplaudir em pé.
      Como é possível que milhões de brasileiros não enxerguem a conspiração da Oligarquia do Mal ou Pacto dos Três Poderes para a submissão da nação e a própria total impunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *